Museu Aberto de Biodiversidade

O Museu Aberto de Biodiversidade (MAB), Open Museum of Biodiversity (OMB), se destina a manter acervos que reúnem registros, principalmente por observação de máquina, de fauna e flora. A formalização das coleções atende aos padrões científicos necessários para integração aos bancos de dados gerenciados por órgãos internacionais, a exemplo do Global Biodiversity Information Facility – GBIF, cujo nó brasileiro é administrado pelo Sistema de Informação sobre a Biodiversidade Brasileira – SiBBr, desenvolvido sob coordenação do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), com suporte técnico da ONU Meio Ambiente (UNEP) e apoio financeiro do Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF). O ICTBIO é registrado no SiBBr, bem como a Coleção Ecológica de Entomologia, primeira da instituição a entrar em funcionamento.

As atividades previstas para o MAB incluem o estabelecimento, a manutenção e a ampliação constantes das coleções científicas de áreas, bem como a elaboração de sistema de disponibilização pública on-line dos seus acervos.

O MAB abrigará inicialmente as coleções das temáticas de Herpetofauna, Ecológica de Entomologia e Botânica.

Cada uma das coleções do MAB é administrada por um curador responsável, registrado pelo conselho profissional, conforme a Resolução CFBIO no. 227/2010, e são suas atribuições:

  1. Criar o(s) Livro(s) Tombo(s) eletrônicos no sistema DarwinCore.
  2. Manter atualizados os cadastros da coleção junto ao SibBr.
  3. Decidir quais registros devem integrar a coleção, sempre com autorização escrita dos autores/detentores dos direitos autorais.
  4. Providenciar o crescimento continuado do acervo priorizando a ampliação de espécies, de informações ecológicas e a qualidade de registros sempre que possível.
  5. Manter em ordem e disponível toda a documentação da coleção.
  6. Manter cópias de segurança atualizadas da integralidade do acervo.
  7. Atender tanto aos pesquisadores internos ou de outras instituições que solicitem informações da coleção, quanto cientistas cidadãos ou quaisquer outros interessados, sempre priorizando a facilidade de acesso e a transparência, assegurando a inclusão científica.
  8. Disponibilizar a coleção atualizada para consulta livre pelo meio mais conveniente.

Cada curador integra ao Conselho de Curadores do MAB e poderá contar com a participação voluntária de curadores consultores externos, auxiliares ou estagiários, conforme o caso, mediante assinatura do Termo de Voluntariado, em atendimento à exigência legal de cada caso.

ACESSE AQUI:

Coleção Ecológica de Entomologia

Foto: Maristela Zamoner